Somos a Central de Brasília e outras regiões do entorno.

Demais regiões: Veja aqui

DISTRITO FEDERAL:

Todas as regiões administradivas.

MUNICÍPIOS DE GOIÁS:

Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas, Alexânia, Cabeceiras, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Flores de Goiás, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Novo Gama, Padre Bernardo, Pirenópolis, Planaltina de Goiás, Santo Antônio do Descoberto, São João D’Aliança, Valparaíso e Vila Boa

MUNICÍPIOS DE MINAS GERAIS:

Chapada Gaúcha, Urucuia, Pintópolis, São Francisco, Bonito de Minas, Cônego Marinho e Januária.

Uma Cooperativa Central congrega as Cooperativas Singulares de Crédito (agências da região) e integra o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil – Sicoob. No Brasil, em cada estado, existe uma central, assim como nós. Uma Central atende diretamente as suas filiadas organizando-as em maior escala dos serviços administrativos, financeiros, econômicos e creditícios. Embasamos a integração financeira do cooperativismo de crédito para a defesa, expansão e aprimoramento de sua prática e preservação dos seus princípios e filosofia cooperativista.
00 MIL
Associados
00
Agências
00
Filiadas
00 MILHÕES
Ativos totais
 

Estatuto Social

O estatuto social é o  conjunto de normas que regem funções, atos e objetivos desta Central, é elaborado para atender às necessidades da Central e de suas filiadas.
visualizar

ROCAS 2018

Disponibilizamos aqui o calendário anual das Reuniões Ordinárias do Conselho de Administração (ROCA) do Sicoob Planalto Central para o ano vigente.
visualizar
  • ROCA 273ª - 30 de janeiro de 2018

  • ROCA 274ª - 28 de fevereiro de 2018

  • ROCA 275ª - 27 de março de 2018

  • ROCA 276ª - 24 de abril de 2018

  • ROCA 277ª - 29 de maio de 2018

  • ROCA 278ª - 26 de junho de 2018

  • ROCA 279ª - 31 de julho de 2018

  • ROCA 280ª - 28 de agosto de 2018

  • ROCA 281ª - 25 de setembro de 2018

  • ROCA 282ª - 30 de outubro de 2018

  • ROCA 283ª - 27 de novembro de 2018

  • ROCA 284ª - 20 de dezembro de 2018

Estrutura Organizacional

Veja como o Sicoob Planalto Central é organizado em torno da divisão de atividades e recursos com fins de cumprir os objetivos propostos pa a sua finalidade.
visualizar

Nossa História

A Central das Cooperativas de Economia e Crédito do Planalto Central Ltda – antes denominada Cecredif | Leia mais...
visualizar
A Central das Cooperativas de Economia e Crédito do Planalto Central Ltda – antes denominada Cecredif, ao entrar se tornar Sicoob passou a ser chamada Sicoob Central DF, e hoje, com a expansão do atendimento também para o entorno, Sicoob Planalto Central é uma instituição cooperativa de segundo grau que congrega as cooperativas singulares de crédito do DF e integra o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil – Sicoob.
Criada em 06 de março de 1995, numa moderna concepção de Central única, abrigando o crédito rural e urbano do Distrito Federal, logo se transformou em referência nacional. Tem como principais objetivos: a organização em maior escala dos serviços administrativos, financeiros, econômicos e creditícios em benefício de suas filiadas; e a integração financeira do cooperativismo de crédito do DF para a defesa, expansão e aprimoramento de sua prática e preservação dos seus princípios e filosofia.

É por meio do Sicoob Planalto Central que se realiza a liquidez do sistema do Distrito Federal; promove o equilíbrio financeiro entre as filiadas e viabiliza que as cooperativas tenham acesso aos serviços e produtos bancários, por intermédio de convênio com o Banco Cooperativo do Brasil S.A – Bancoob.

Como uma instituição Centralizadora do sistema financeiro do DF, o Sicoob Planalto Central tem um desempenho responsável nos seus resultados e operações. Seus números mostram a seriedade com que é administrado os recursos de suas filiadas. Na verdade, o Sicoob Planalto Central constitui-se em um divisor de águas na história recente do cooperativismo de crédito do Distrito Federal, de tal sorte que se pode falar de duas fases de desenvolvimento: uma anterior a Central e a outra cujo dinamismo é por ela capitaneado.

Princípios Cooperativistas

Princípios cooperativistas são as linhas orientadoras através das quais as cooperativas levam à prática os seus valores. | Leia mais...
visualizar

1º Princípio - Adesão Livre e Voluntária:

As cooperativas são organizações voluntárias, abertas a todas as pessoas aptas a utilizar seus serviços e assumir responsabilidades como associados, sem discriminação social, racial, política, religiosa e de sexo. O princípio da porta aberta, todavia, não deve ser tomado com um sentido absoluto.

2º Princípio - Gestão Democrática pelos Cooperados:

As cooperativas são organizações democráticas, controladas por seus associados, que participam ativamente na formulação de suas políticas e na tomada de decisões. A gestão democrática é a essência operacional do cooperativismo.

3º Princípio - Participação Econômica dos Cooperados:

Os cooperados contribuem eqüitativamente para o capital de suas cooperativas e o controlam democraticamente. Pelo menos parte deste capital é, normalmente, propriedade comum da cooperativa. Os associados recebem, habitualmente, uma limitada remuneração – se houver – ao capital subscrito, como condição de sua adesão. Os excedentes são destinados a um ou mais dos seguintes objetivos:
  • desenvolvimento de suas cooperativas, eventualmente por intermédio da criação de reservas, parte das quais, pelo menos, será indivisível.
  • benefício dos associados, na proporção de suas transações com a cooperativa.
  • apoio a outras atividades aprovadas pelos associados.

4º Princípio - Autonomia e Independência:

As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, geridas pelos seus membros. Se firmarem acordos com outras organizações – incluindo instituições públicas – ou recorrerem a capital externo, devem fazê-lo em condições que assegurem o controle democrático pelos seus associados e se mantenha a autonomia das cooperativas.

5º Princípio - Educação, Formação e Informação:

As cooperativas promovem a educação e a formação dos seus associados, eficazmente para o desenvolvimento das suas cooperativas. Informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação.


6º Princípio - Intercooperação:

As cooperativas servem de forma mais eficaz a seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, por intermédio das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.


7º Princípio - Interesse pela Comunidade:

As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado de suas comunidades, por meio de políticas aprovadas pelos seus associados.

DIREITOS X DEVERES

Participar das Assembléias Gerais da Central, discutindo e votando os assuntos que nela sejam tratados, observadas as | Leia mais...
visualizar

A Cooperativa associada a esta Central tem direito a:

  1. participar das Assembléias Gerais da Central, discutindo e votando os assuntos que nela sejam tratados, observadas as disposições legais e estatutárias, por meio de delegado indicado, em conformidade com este Estatuto e credenciado por seu Conselho de Administração;
  2. propor, ao Conselho de Administração ou à Assembléia Geral, medidas de interesse da Central, da própria Associada e do Sistema;
  3. concorrer, por intermédio de membros indicados pelo Conselho de Administração, aos cargos eletivos da Central, observado o disposto nos seus atos normativos;
  4. dissociar-se da Central, quando lhe convier, observado o disposto no artigo 13 deste Estatuto e respectivos parágrafos;
  5. realizar, junto à Central, as operações que correspondam aos interesses da Associada;
  6. solicitar, formalmente, quaisquer informações sobre os negócios realizados pela Central;
  7. examinar e pedir informações atinentes às demonstrações financeiras do exercício e dos demais documentos a serem submetidos à Assembléia Geral;
  8. beneficiar-se dos serviços que a Central estiver habilitada a prestar, observadas as condições estabelecidas nas normas aplicáveis;
  9. gozar de todas as vantagens previstas neste Estatuto;
  10. submeter à apreciação da Central, projetos e estudos concernentes ao desenvolvimento das atividades da Associada.
Parágrafo único. As Associadas, representadas por seus delegados, ficam impedidas de votar e ter seus cooperados votados, se:
  1. tiverem sido admitidas, após a convocação da Assembléia Geral respectiva;
  2. tiverem deixado de pagar, até 3 (três) dias antes da realização da Assembléia Geral, a quota de capital vencida e ou a taxa de serviços e encargos operacionais que forem estabelecidos para cobertura de despesas da Central; e,
  3. estiverem em situação de inadimplência.

A Cooperativa associada a esta Central tem o dever de:

  1. subscrever e realizar as quotas-parte do capital social da Central, nos termos deste Estatuto e contribuir com as taxas de serviços e encargos operacionais que forem estabelecidos para custeio de despesas da Central;
  2. satisfazer, pontualmente, os compromissos perante a Central;
  3. cumprir as disposições legais, estatutárias e normativas e respeitar as Resoluções do Conselho de Administração e as Deliberações da Assembléia Geral da Central;
  4. conduzir e realizar atividades de assistência técnica, educacional e social, por intermédio da Central, quando for o caso;
  5. prestar à Central, esclarecimentos relacionados às atividades executadas;
  6. participar, ativamente, da vida societária da Central;
  7. permitir, a qualquer tempo, que a Central ou entidade por ela autorizada, realize auditoria ou inspeções em operações e serviços, bem como em demonstrações financeiras relativas aos exercícios sociais, inclusive as notas explicativas respectivas;
  8. acatar e cumprir as recomendações apresentadas nos relatórios resultantes das auditorias ou inspeções realizadas em decorrência do previsto no inciso anterior;
  9. conduzir operações ativas e passivas com rigorosa obediência à legislação e à regulamentação aplicável;
  10. incentivar o cooperativismo, mantendo estreito entrosamento com as demais cooperativas localizadas na mesma área de ação;
  11. enviar, regularmente, à Central, relatórios, balanços e demais informações consideradas de interesse comum;
  12. designar e credenciar delegado para participação em reuniões e em Assembléias Gerais da Central, observando as disposições deste Estatuto;
  13. comunicar, imediatamente, toda e qualquer modificação nos órgãos de administração, encaminhando à Central os currículos dos novos componentes;
  14. acatar e cumprir as decisões do Conselho de Administração da Central que determinar a adoção, pela Associada, de quaisquer medidas saneadoras, contidos nos Atos normativos em vigor;
  15. permitir que a Central tenha, a qualquer tempo, total acesso aos dados contábeis, econômicos e financeiros da Associada, bem como aos livros sociais, legais e fiscais de qualquer espécie, além de relatórios complementares e de registros de movimentação financeira de qualquer natureza.

desempenho do sicoob planalto central

Clique na imagem para ampliar

Números do Sicoob Planalto Central Números do Sicoob Planalto Central Números do Sicoob Planalto Central Números do Sicoob Planalto Central Números do Sicoob Planalto Central Números do Sicoob Planalto Central Números do Sicoob Planalto Central Números do Sicoob Planalto Central Números do Sicoob Planalto Central

dados: dez/2018